Uber Eats deixa de funcionar no Brasil a partir desta terça | Tecnologia

O aplicativo de delivery Uber Eats deixará de fazer entregas de restaurantes a partir de terça-feira (8). A companhia explica que o aplicativo continuará funcionando, mas somente para itens de supermercados e entregas de pacotes.

O anúncio foi realizado em janeiro e, em comunicado enviado aos usuários, a empresa confirmou o desligamento da função de entregas de restaurantes. De acordo com o Uber, a função Eats estará disponível até às 23h59 desta segunda-feira (7).

  • Compartilhe essa notícia no WhatsApp
  • Compartilhe essa notícia no Telegram

“A partir de agora, a empresa vai trabalhar em duas frentes: com a Cornershop by Uber, para serviços de intermediação de entrega de compras de supermercados, atacadistas e lojas especializadas; e de entrega de pacotes pelo Uber Flash”, afirmou a companhia.

O aplicativo disse ainda que planeja expandir no Uber Direct, uma opção corporativa que permite que lojas façam entregas no mesmo dia para seus clientes, e em meios de transporte, como motos e táxis, para oferecer seus produtos.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) disse que o fim do Uber Eats no Brasil deixa o setor com “muita apreensão”.

Para Paulo Solmucci, presidente da Abrasel, a descontinuação do serviço representa uma significativa perda de competitividade no mercado de delivery.

  • Bolsonaro sanciona, com vetos, lei com medidas para proteger entregadores de app na pandemia
  • Samsung é vítima de ciberataque; hackers acessam código-fonte dos aparelhos Galaxy

Em outubro de 2019, a Uber comprou participação majoritária da startup chilena Cornershop e integrou os pedidos de supermercado ao Uber Eats.

No Brasil, mercado de delivery por aplicativos é dominado pelo iFood, com mais de 70% de participação.

Em março passado, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) proibiu a empresa de realizar novos contratos de exclusividade com restaurantes após uma reclamação conjunta do Uber Eats e do Rappi.