Twitter contrata advogados para processar Elon Musk; bilionário ironiza

Após o anúncio da desistência de Elon musk em comprar o Twitter na última sexta-feria (8), a empresa contratou o escritório de advocacia Wachtell para uma batalha na justiça contra o bilionário, que desistiu do acordo de comprar a rede social por US$ 44 bilhões (R$ 231,2 bilhões). Os envolvidos, Musk e a empresa, já haviam firmado em (25) de abril um contrato confirmando a negociação.

Segundo Elon Musk, a desistência em comprar a rede social se deve ao fato da empresa ter violado três regras do acordo. Não há detalhes sobre os itens que teriam sido descumpridos pelo Twitter. Mas pode estar relacionado as solicitações que o bilionário pediu em relação ao número de perfis falsos ou spam existentes na plataforma.

Em resposta, o Twitter prometeu manter os termos do acordo original com o bilionário, que estipula o preço de US$ 54,20 por ação, com um total de US$ 44 bilhões.

O escritório de advocacia Wachtell contrata do pela rede social, é especializado em prática de litígios, é o lugar que a maioria das empresas de capital aberto dos EUA procura para resolver problemas judiciais como esse. Eles defendem empresas em ações judiciais por violação de dever fiduciário e quebras de acordos de fusão.

O Twitter não quis comentar a nomeação da Wachtell, noticiada pela Bloomberg. A Wachtell também não comentou o caso.

Elon musk ironizou a situação publicando um meme em sua conta no Twitter. Na publicação ele posta uma imagem com as seguintes frases em inglês:

“Eles disseram que eu não poderia comprar o Twitter”. “Depois, que eles não disponibilizariam informações sobre bots” (contas falsas). “Agora, eles querem me forçar na justiça a comprar o Twitter”. Por fim, com uma foto gargalhando, ele finaliza “agora eles têm que disponibilizar informações sobre os bots à justiça”.

Tudo começou em abril, Elon Musk comprou 73.486.938 ações do Twitter por quase US$ 3 bilhões (R$ 16 bilhões), equivalente a 9,2% do total de papéis da companhia, com isso o bilionário se tornou o maior acionista da empresa.

Ao se tornar o maior acionista da empresa, Musk também foi nomeado para o conselho de administração do Twitter. Uma semana depois, ele desistiu de fazer parte do conselho.

Pouco tempo depois Musk anuncia o interesse em comprar todo o Twitter por US$ 44 bilhões. Ele afirma, ser sua oferta final, e se não for aceita, cogita até mesmo deixar de ser acionista da empresa.

Inicialmente os acionistas da empresa demostraram resistência na venda da plataforma, segundo eles o bilionário poderia interferir na moderação de conteúdo da rede social, permitindo desinformação e discurso de ódio.

Mais recentemente, a queda das ações e a falta das informações exigidas por Musk se tornaram decisivas para que a compra fosse finalizada. O bilionário tem insistentemente pedido um relatório preciso sobre o número de perfis falsos ou spam existentes na plataforma.

No dia (2) de maio, a empresa divulgou um documento contabilizando que menos de 5% das contas existentes na plataforma são falsas. Mas esse levantamento não convenceu o CEO da Tesla.

Dia (8) de julho Musk oficializa sua desistência em comprar a rede social em um comunicado enviado a SEC, uma agência federal independente de regulamentação e controle dos mercados financeiros americano.

Fonte: Bloomberg