Sá Souza Advogados celebra cinco anos de história protegendo o direito de defesa e a liberdade | Economia

O escritório de advocacia Sá Souza Advogados, que tem à frente os criminalistas Lucas Sá, Luana Leal Viegas e Chrisantina Sá Souza, celebra, neste domingo (3), cinco anos de atuação no país. Os advogados relembram que tudo começou em 2017, quando os trabalhos em defesa da liberdade e dignidade dos clientes se davam em um edifício localizado no bairro da Cremação, em Belém. 

“Iniciei o escritório em 3 de julho de 2017. Este ano, completamos cinco anos de fundação. Fui advogado na mais tradicional banca de advocacia criminal do Pará, que é a do criminalista e meu padrinho de casamento Américo Leal. Só que sempre tive em mente que queria ter o meu negócio”, relembra o advogado criminalista Lucas Sá.

Sá Advogados

Atualmente, o escritório funciona no Edifício Rogélio Fernandez, no mesmo bairro, e possui uma filial em Brasília. Lucas Sá explica a importância de se fazer presente na capital do país. “A maioria dos nossos processos são de repercussão midiática nas áreas de tribunal do júri popular, ambiental e de lavagem de dinheiro. Então, termina que são resolvidos perante os Tribunais Superiores e há necessidade de uma presença constante na Capital Federal”, justifica.

Ao longo desta meia década, além do Pará, o Sá Souza Advogados defende causas nos estados do Amazonas, Amapá, Rondônia, Maranhão, Bahia, Piauí, São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Dentre tantos processos, alguns tiveram grande repercussão e protagonismo do escritório como, por exemplo, o caso que ficou conhecido como a “Chacina do Guamá”, em Belém do Pará; “Chacina do Cujubim”, em Rondônia; caso Mariana Costa, no Maranhão; entre outros.

Cada caso, uma estratégia

Para a advogada criminalista Luana Leal, cada processo exige níveis de estudo e envolve diferentes emoções em busca da liberdade e/ou inocência de um acusado. “Cada processo é diferente um do outro. São emoções, uma adrenalina muito grande. E, dependendo do crime que a pessoa é acusada – homicídio, corrupção, sonegação fiscal – é diferente a estratégia adotada. Mas há algo comum ao longo dos processos, que é a nossa dedicação”, declara.

Ela defende que a advocacia criminal é fundamental para garantir o direito de defesa de um investigado diante do Estado. “O Estado se arma para lhe acusar, porque há o delegado para investigar; há o Ministério Público para acusar e o juiz para julgar, mas todos são Estado. Então, é importante você ter advogados criminalistas ou defensores públicos, porque o cidadão precisa se defender com seriedade”.

Ponte para a Justiça

“O advogado é essa ponte entre o cidadão e a Justiça. Muitas vezes somente a defesa é capaz de perceber a peculiaridade do caso para lutar pela inocência de alguém em um caso criminal que toda a sociedade está contra. Por isso, é muito importante que o direito de defesa seja bem exercido, para que não haja uma supressão indevida de direitos”, defende Chrisantina Sá Souza.

Lucas Sá pontua a responsabilidade que é defender alguém de uma acusação, não somente diante do Tribunal do Júri, mas também dos julgamentos da sociedade. “Defender gente acusada em casos criminais é algo diferente. É uma grande responsabilidade, pois a maioria dos nossos clientes têm grandes empresas, nomes respeitáveis na sociedade e um processo criminal termina manchando o trabalho de toda uma vida. No escritório, nós temos muita atenção com o reflexo externo da nossa defesa. Não estamos preocupados apenas com o caso perante o juiz, mas também com o cliente na sociedade”, frisa.

O criminalista explica como a equipe do escritório se dedica para cada causa. “Não é todo caso criminal que aceitamos, pois, a cada dia que passa, as acusações são mais complexas e há necessidade de grande dedicação para cada defesa. Hoje, trabalhamos com peritos parceiros no Pará, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul para podermos fazer frente aos órgãos de acusação”, explica.

Conhecimento profundo com estratégia

Para Lucas Sá, nos casos de júri, é essencial que a defesa conheça “desde a vida inteira do nosso cliente até o local em que os fatos ocorreram”. Lucas exemplifica: “Mês passado, tivemos que ir em um cemitério, na Bahia, pois o fato ocorreu lá e tínhamos que conhecer o possível trajeto dos disparos da arma de fogo, se eles teriam atingido as sepulturas, se a versão que a acusação estava apresentando era factível ou um verdadeiro absurdo”.

“Também tive um caso que envolvia preconceitos sobre a umbanda e a morte de uma criança após um misterioso banho com ervas naturais. Terminei tomando o mesmo banho que a criança e testei com um fósforo se realmente pegava fogo. Não pegou, estou aqui para contar a história e a família foi toda inocentada”, relembra, acrescentando que, nos casos de lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e de crimes ambientais, o escritório Sá Souza Advogados trabalha com contadores, engenheiros e advogados especialistas na área tributária e ambiental. “O nosso foco é 100% no nosso cliente”, garante Lucas.

Direito à defesa

Ele destaca a importância da advocacia criminal para a vida de quem está em conflito com a lei. “A primeira questão é saber se é ele quem está em conflito com a lei ou se estão querendo colocar a lei contra ele na marra por motivos inconfessáveis. A minha bandeira é a do direito de defesa. Todos têm o direito à melhor defesa possível”, assegura o advogado criminalista Lucas Sá.

O resultado apresentado pelo escritório Sá Souza Advogados é reflexo da prática de sempre tratar o cliente como único, agregando a excelência do trabalho realizado em equipe. Segundo Lucas Sá, procura-se o aprimoramento do quadro funcional de forma plena, com realização de reuniões técnicas sobre temas discutidos em cada caso, amplitude de discussões na equipe, o que gera o efetivo envolvimento do quadro nos anseios perseguidos em cada causa. A vitória do escritório sempre é comemorada por todos, porque todos, capitaneados pelo sócio fundador Lucas Sá, se sentem responsáveis pelo resultado.

Alinhado à sua responsabilidade social, o escritório Sá Souza tem como uma de suas missões a de formar profissionais através do oferecimento de estágio remunerado, com a possibilidade de ingresso, no futuro, no quadro funcional do escritório. “Investimos na formação de nossos estagiários de forma plena, tanto na área prática, escrita e comportamental. Aos nossos estagiários é disponibilizado instrumentos de formação acadêmica que conjugado ao acompanhamento supervisionado e direcionado, é diferencial na qualificação dos futuros profissionais de direito que o escritório disponibiliza ao mercado”, assegura Lucas Sá.