policiais querem procrastinar julgamento posteriormente entendimento vazar

-

- Publicidade -

Advogados de três dos policiais acusados da morte do ex-segurança George Floyd, assassinado em março do ano pretérito por asfixia, entraram com pedido para retirar as acusações contra eles alegando que o vazamento do entendimento proposto a outro policial poderia “contaminar” o júri.

Tou Thao, J. Alexander Kueng e Thomas Lane devem ser julgados em 23 de agosto, enquanto Derek Chauvin, policial que sufocou George Floyd, vai a julgamento no início de março.

Segundo o The New York Times divulgou na última semana, Chauvin concordou em se declarar culpado pelo homicídio poucos dias posteriormente a morte do ex-segurança. No entanto, o ex-procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, negou o entendimento por considerá-lo “lento demais”, segundo informações do Daily Mail.

0

Agora, os advogados acusam o ex-procurador-geral de ter vazado, “direta ou indiretamente”, os detalhes do entendimento. Para Robert Paule, jurisconsulto de Tou Thao, a informação sobre o entendimento agora cancelado de Chauvin poderia “manchar irreversivelmente” a imagem de Thao e negaria a ele “seu recta constitucional a um julgamento justo por jurados imparciais”.

Paule apresentou ainda um pedido para que o procurador-geral de Minnesota Keith Ellison e os promotores Matthew Frank e Neal Katyal compareçam a uma audiência para enfrentar as sanções pelo vazamento.

- Publicidade -

Compartilhe

Recent comments