Petrobras justifica reajuste de preços e lucro de R$ 106,6 bilhões

Petrobras justifica reajuste de preços e lucro de R$ 106,6 bilhões. Foto: Getty Images.

  • No sábado (12), a Petrobras publicou dois vídeos nas redes sociais em que justifica o reajuste dos preços dos combustíveis e o lucro de R$ 106,6 bilhões em 2021;

  • Segundo a companhia estatal, o lucro inédito de 2021 “pode parecer muito alto, mas não é”;

  • A empresa também esclareceu que no ano passado pagou por hora R$ 23 milhões em impostos e tributos e possibilitou em torno de 10 mil empregos.

A Petrobras divulgou no sábado (12) dois vídeos nas redes sociais para justificar os aumentos dos preços que entraram em vigor na sexta-feira (11).

Segundo a companhia, o “reajuste foi necessário para manter o fornecimento por todas as empresas, mitigando riscos de desabastecimento”.

Leia também:

“O preço do petróleo e dos combustíveis registrou expressivas altas nas últimas semanas, no mundo todo. Ainda assim, a Petrobras não repassou imediatamente pois não transmite volatilidade e sabe da importância de contribuir com combustível acessível. A Petrobras ficou 57 dias sem reajustar gasolina e diesel, e mais de 150 dias o gás de cozinha”, disse a empresa.

Além disso, a Petrobras afirmou que o lucro inédito de R$ 106,6 bilhões registrado em 2021 “pode parecer muito alto, mas não é”.

O valor é o segundo maior da história entre empresas de capital aberto no Brasil, ficando atrás apenas da Vale, que, também no ano passado, registrou lucro de R$ 121 bilhões.

Segundo a companhia estatal, a taxa anual de retorno aplicada na sua operação em 2021 foi de 8%, ou seja, “apenas 2% do custo da sua dívida, um retorno justo”.

A empresa também esclareceu que no ano passado pagou por hora R$ 23 milhões em impostos e tributos, possibilitando em torno de 10 mil empregos a cada R$ 1 bilhão de investimentos em exploração e produção.

A Petrobras ressaltou seu investimento de mais de R$ 70 bilhões por ano, afirmando beneficiar “mais de 4 milhões de pessoas com aquisição de gás de cozinha para famílias vulneráveis”.

A estatal alegou que não há monopólio de sua parte, e que outras empresas “também produzem e importam combustíveis”.

Veja os vídeos: