Mulher acusa advogado de seu ex por agressão no Lago de Manso

Uma mulher de 33 anos registrou um boletim de ocorrência denunciando ter sido agredida pelo advogado do ex-marido, na tarde de quinta-feira (16), no Condomínio Vale do Manso, em Chapada dos Guimarães (a 70 quilômetros de Cuiabá).

 

Conforme o documento, a vítima enfrenta um divórcio litigioso desde março deste ano. Como ainda não houve determinação para o uso dos bens do casal, todos eles deveriam ficar desocupados até que houvesse uma decisão.

 

A mulher, no entanto, recebeu uma ligação anônima informando que havia pessoas na propriedade localizada no Município de Chapada e foi até lá para ver o que estava acontecendo. Seu objetivo, segundo ela, era filmar a utilização indevida do imóvel.

 

Quando chegou ela diz ter encontrado o advogado do ex, identificado pelas iniciais F.H, acompanhado por uma mulher, bem como outros dois advogados e o ex, todos também acompanhados por mulheres.

 

Segundo o boletim de ocorrência, ela entrou na casa com o celular em mãos para fazer a filmagem, quando teria sido agarrada pelos cabelos por F.H., que ainda a teria empurrado para fora da casa e chutado.  

 

Segundo a vítima, o advogado tomou o celular de suas mãos e o jogou no chão. Em seguida teria colocado o aparelho sobre um balcão e usado outro objeto para quebrá-lo mais.

 

Ela conta que tentou pedir ajuda aos demais presentes na casa, mas nenhum deles fez nada para impedir o advogado. Algumas das peças do celular teriam se soltado e sido jogados em um lago próximo à casa pelo agressor.

 

A vítima tentou pedir ajuda em outras duas residências vizinhas, e os moradores teriam se recusado a ajudar.

 

Somente ao pedir auxílio na terceira residência, a vítima conseguiu abrigo e entrou em contato com a Polícia Militar.

 

De volta à residência e acompanhada por policias militares, o advogado negou as agressões e os danos ao aparelho.

 

Disse ainda que quem deveria ser presa era a mulher, por infringir uma ordem judicial que determina que ela fique a pelo menos 500 metros do ex. Ele ainda a acusou de ter furtado um relógio.

 

Segundo o documento, F.H. ameaçou ligar para um desembargador e um coronel para intimidar o sargento que atendia a ocorrência.

 

O advogado se negou a comparecer à delegacia alegando que havia ingerido bebidas alcoólicas.

 

A vítima informou que deseja presentar criminalmente contra o advogado e também a omissão dos demais envolvidos.