Morre o advogado e ex-deputado federal Arnaldo Faria de Sá

O advogado, ex-deputado federal e vereador de São Paulo Arnaldo Faria de Sá (Progressitas) morreu na manhã desta quinta-feira (16/6), na capital paulista, aos 76 anos. O falecimento foi confirmado pela Câmara Municipal, que emitiu nota de pesar. A causa da morte não foi divulgada.

Advogado, professor, deputado federal e vereador, Arnaldo Faria de Sá tinha atuação destacada como defensor dos aposentados

Arnaldo Faria de Sá estava em seu primeiro mandato como vereador. Antes foi eleito para a Câmara dos Deputados por oito vezes. “Fará muita falta como vereador parceiro e combativo na luta pela aprovação dos Projetos de Lei importantes para São Paulo”, diz a mensagem institucional do órgão.

Sua atuação mais destacada é no âmbito previdenciário. Na Câmara dos Deputados, era reconhecido como o deputado dos aposentados, pensionistas e idosos. Lutou pela instalação dos Juizados Especiais Previdenciários e sua descentralização. É o responsável pela criação das Delegacias de Polícia do idoso

Fundou a Frente Parlamentar em Defesa da Previdência Pública e atuou com força na defesa dos aposentados e pensionistas do serviço público e do INSS durante as votações das reformas das Previdências dos governos FHC; Lula; Dilma e Temer. Na Câmara Municipal de São Paulo, era o presidente da Comissão do Idoso e Assistência Social.

“Recebo com tristeza essa lamentável notícia. Ao longo dos anos aprendi a admirar esse grande político, defensor dos direitos dos aposentados e um homem preocupado com as questões do Judiciário”, afirmou o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal.

“Meus sentimentos à família de Arnaldo Faria de Sá, grande homem público e leal amigo, que soube dignificar a atividade política e combater o bom combate na defesa da sociedade e, em especial, dos aposentados. Que Deus o receba com todas as suas bençãos”, disse o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

“Como deputado, esteve sempre ao lado da magistratura. Conhecia, como poucos, o dia a dia da câmara. Uma grande perda”, disse o ministro Sebastião Reis Júnior, do Superior Tribunal de Justiça.

“Realmente é lamentável. O deputado Arnaldo Faria de Sá sempre foi amigo do Poder Judiciário, sempre soube entender as necessidades e a importância do Judiciário. O Tribunal de Justiça sente profundamente o falecimento”, comentou o presidente do TJ-SP, desembargador Ricardo Anafe.

“Arnaldo era um grande amigo da advocacia e meu particular amigo. Dono de um bom senso incomum e de uma grande generosidade. Uma perda para a cidadania. Deixa um enorme legado para a vida pública”, disse o advogado criminalista Alberto Zacharias Toron.

“Um político exemplar, dedicado às causas da Justiça. Presidiu a Frente Parlamentar de Advogados.  Sempre presente na OAB-SP e defensor de nossos projetos na Câmara. Estivemos juntos em diversos momentos, e um deles, marcante, foi o enfrentamento que fez a Eduardo Cunha, na época presidente da Câmara Federal, e que queria extinguir o Exame de Ordem. Graças a Arnaldo esse projeto não foi adiante. Descanse em paz”, afirmou Marcos da Costa, advogado, ex-presidente da OAB-SP.

Com tristeza recebo a notícia da partida de Arnaldo Faria de Sa. Meus sentimentos à família e aos amigos. Arnaldo foi um parlamentar aguerrido e defendeu os idosos e aposentados com unhas e dentes. Profundo conhecedor do Regimento interno da Câmara dos Deputados era um arguto debatedor e bom parlamentar na defesa de suas ideias.

Descanse em paz!”, disse o ex-deputado federal João Paulo Cunha.