MC Lan, réu de estupro, terá sua inocência provada, afirma resguardo do funkeiro – Quem

-

- Publicidade -

MC Lan foi réu de estupro pela protótipo Jhacy França (Foto: Reprodução/Instagram)

A resguardo de Caio Alexandre Cruz, espargido artisticamente porquê MC Lan – que foi réu de estuprar uma jovem no domingo (7) em sua moradia, em São Paulo – enviou uma nota de explicação à Quem nesta terça-feira (9) sobre o caso. A protótipo Jaciane Maria França, de 28 anos, acusa o funkeiro de “estupro de vulnerável” em seguida um encontro, que segundo ela, seria para falar de ocupação. Mas ela teria sido dopada e abusada pelo artista. De conformidade com a resguardo do funkeiro, ele está perplexo com as acusações e garante que a relação sexual foi consensual e que em nenhum momento forçou a protótipo a zero. Procurada por Quem para dar sua versão sobre o caso, Jaciane não retornou o contato da reportagem até o fechamento desta publicação.

Os advogados do artista, Nicholai Candido Mattuella da Silva e Mariah Batista Fontes Prado, afirmaram que ele recebeu a protótipo em sua moradia e, depois que a jovem deixou o sítio, ele começou a receber mensagens no celular com “características de roubo”. Acreditando ser unicamente mais um trote, ele bloqueou a pessoa, que imediatamente o chamou através de outro número de telefone e voltou a ameaçá-lo. MC Lan portanto resolveu entrar em contato com seus advogados, que o orientaram a lavrar um Boletim de Ocorrência pela internet de violação de roubo. Mesmo em seguida ter feito o B.O pela internet, o músico decidiu vincular para seus advogados e ir pessoalmente até a delegacia registrar a ocorrência. Antes de trespassar, todavia, MC Lan recebeu a informação da portaria de seu condomínio de que policiais estavam detrás dele. 

Porquê se trata de um caso que está sob sigilo investigativo, a resguardo informou que as provas e outros detalhes relevantes que provarão a inocência de MC Lan já foram apresentados às autoridades policiais competentes para explicação dos fatos.

- Publicidade -

“Ele recebeu os policiais e os seus advogados e se dirigiu para o 49ª DP de São Mateus para apresentar provas acerca da roubo que sofreu, porquê também já prestar esclarecimentos do imputado ao artista. Apesar de a protótipo alegar ter sido vítima de violência sexual e de ter sido dopada, a resguardo do Mc Lan apresentou as provas que demonstraram que ato sexual foi consensual e que em nenhum momento MC Lan a forçou a zero. MC Lan está perplexo com as acusações feitas pela protótipo e reafirma que não cometeu qualquer violação, seja ele de qualquer natureza. E que sempre estará à disposição das autoridades para esclarecer a verdade”, diz a nota.

Leia, inferior, a nota de explicação na íntegra:

Caio Alexandre Cruz, espargido artisticamente porquê MC Lan, através dos seus advogados Dr Nicholai Candido Mattuella da Silva e Dra Mariah Batista Fontes Prado, informam que seu cliente recebeu em sua moradia na noite de sábado (6/3) a protótipo Jaciane Maria França e que em seguida ela ter deixou o sítio já madrugada de domingo, MC Lan começou a receber mensagens no celular com particularidade de roubo. Acreditando ser unicamente mais um trote, MC Lan bloqueou a pessoa, que imediatamente o chamou com outro número de telefone e voltou a ameaça-lo.  MC Lan entrou em contato com os advogados que no orientaram a lavrar um Boletim de Ocorrência pela internet  de violação de roubo. Mesmo em seguida ter feito o B.O pela internet MC Lan decidiu vincular para seus advogados e ir pessoalmente até a delegacia registrar a ocorrência. Antes de trespassar, MC Lan recebeu a informação da portaria de seu condomínio que policiais estavam o procurando.  Ele recebeu os policiais e os seus advogados,  e se dirigiu  para o 49ª DP de São Mateus para apresentar provas acerca da roubo que sofreu, porquê também já prestar esclarecimentos do imputado ao artista.
Apesar de a protótipo alegar ter sido vítima de violência sexual e de ter sido dopada, a resguardo de MC Lan apresentou as provas que demonstraram que ato sexual foi consensual e que em nenhum momento MC Lan a forçou a zero. Porquê se trata de um caso que está sob sigilo investigativo, as provas e outros detalhes relevantes que provarão a inocência do MC Lan já  foram apresentadas às autoridades policiais competentes para explicação dos fatos.
MC Lan está perplexo com as acusações feitas pela protótipo e reafirma que não cometeu qualquer violação, seja ele de qualquer natureza, e que sempre estará à disposição das autoridades para esclarecer a Verdade. São Paulo, 9 de março 2021 Dr Nicholai Candido Mattuela da Silva / Dra Mariah Batista Fontes Prado
“.

Ludmilla e MC Lan (Foto: Reprodução/Instagram)
- Advertisement -

Ludmilla e MC Lan (Foto: Reprodução/Instagram)

- Publicidade -

Compartilhe

Recent comments