Jurista de Lula diz que promotora age uma vez que defensora de varão que ameaçou ex-presidente com arma – 29/07/2021 – Tela

Para Eugênio Aragão, legista de Lula (PT) no processo contra empresário que ameaçou atirar no ex-presidente, a promotora Maria Paula Machado de Campos agiu partidariamente ao esgrimir na ação que José Sabatini desferiu ataques em vídeo por estar comovido com a polarização política do Brasil.

Ela requereu repudiação da queixa-crime por calúnia e mordacidade apresentada pelo petista, uma vez que revelou o Tela. Aragão, ex-ministro da Justiça, diz que ela se comportou uma vez que advogada de Sabatini.

“O que é mais grave é o Ministério Público descer da imparcialidade de um fiscal da lei e virar partidário”, afirma. Maria Paula atua na comarca de Artur Nogueira do Ministério Público de São Paulo.

Ela afirmou que no contexto brasílico de “intensa polarização política da sociedade”, “com a multiplicação de notícias veiculadas pela mídia diariamente, sobre todo tipo de tema”, não é de se estranhar que Sabatini tenha “se deixado impressionar”, o que, segundo ela, não faz dele um criminoso.

“Coitado. De responsável de um violação ele vira vítima. Vítima da polarização. Fica a indignação de ver o Ministério Público agir dessa forma, partidariamente”, rebate Aragão.

Segundo a promotora, os advogados de Lula precisavam provar que Sabatini, que xingou o petista de “rebento da puta” e disse que ele havia roubado dos fundos de pensão, sabia que Lula era simples e mesmo assim o atacou —o que, de combinação com a promotora, não fizeram.

“Ela inverte o ônus da prova. Somos nós, advogados da vítima, que temos que de antemao provar que ele fez um tanto de má fé. As imagens são muito fortes e falam por si mesmas. Isso aí chega a ser quase pilhéria”, afirma Aragão.

Ele diz que vão contrapor a revelação da promotora nos autos do processo.

Os representantes de Lula pedem R$ 50 milénio referentes a danos morais e falam em efeito pedagógico. Eles dizem que só uma indenização significativa pode reprimir atitudes semelhantes às do empresário de Artur Nogueira (SP), que em sua resguardo disse que o petista tentava enriquecer com o processo.


LINK PRESENTE: Gostou desta pilar? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul inferior.