Jeep Renegade Moab é o 4×4 a diesel mais barato, mas vale a pena?

-

- Publicidade -

Hoje em dia, tudo é SUV. Tem marca que labareda até subcompacto assim, para aproveitar a voga, mas poucos realmente merecem nascente título. O Jeep Renegade é um deles, ao menos nas versões com tração 4×4 e  a 1ª marcha reduzida, sendo capaz de entrar na terreno sem passar vergonha. Porém, ter uma versão do padrão com tração integral e o motor 2.0 turbodiesel saía muito dispendioso. Daí a estreia do Jeep Renegade Moab, o mais barato com esta feitio, por R$ 146.590.

Os atributos do Jeep Renegade Moab são muito claros. Com uma profundidade em relação ao solo de 21,6 centímetros, ângulo de ataque de 30° e 33° de saída, é um SUV que atende a quem quer um padrão versátil no uso e com boa relação entre desempenho e economia. Simples, não é a versão mais off-road, título que fica para a versão Trailhawk, porém é o suficiente para encarar tranquilamente aquela lodo, facões ou cascalho na viagem para o sítio.

- Publicidade -

O Moab traz até alguns detalhes do Trailhawk, uma vez que os ganchos dianteiros para reboque (úteis em trilhas mais complicadas), cá pintados de preto (são vermelho na versão mais off-road). A cor escura também é usada em outras partes do sege, uma vez que na grade frontal, maçanetas, espelhos laterais e até nas rodas de liga ligeiro. Em outros pontos, porém, ele mostra que é o padrão mais barato, uma vez que nos faróis e lanternas, todas com lâmpadas halógenas ao invés de LEDs.

Esperto e sóbrio

Porquê posso expressar que o Moab agrada se oferece menos? Justamente por pretexto do motor 2.0 turbodiesel de 170 cv a 3.750 rpm e 35,7 kgfm a 1.750 rpm. Basta andejar um pouco para notar que o Renegade nasceu para ter nascente propulsor sob o capô, entregando a desembaraço que falta à versão com o velho 1.8 E.torQ. Não é à toa que acelera de 0 a 100 km/h em 10,3 segundos, uma vez que mostra no nosso teste.

Com o câmbio automático de 9 marchas muito calibrado oferece uma tocada mais suave e ajuda muito no rendimento energético. Na cidade chegamos a uma média de 10,8 km/litro, enquanto no ciclo rodoviário nascente valor subiu para 15,6 km/litro, muito supra dos 10,1 km/litro e 12,5 km/litro registrados no Inmetro. Porquê verificação, o Renegade 1.8 com etanol roda 6,8 km/litro na cidade e 10,3 km/litro na estrada, fazendo com que o padrão diesel seja tão econômico na cidade quanto o flex é nas rodovias.

- Advertisement -
Jeep Renegade Moab
Jeep Renegade Moab

O conforto do Renegade Moab também é destaque. Carros a diesel são naturalmente mais barulhentos e vibradores por conta da maior taxa de compressão utilizada em verificação aos carros a gasolina ou etanol. A Jeep resolveu isso com um isolamento acústico muito eficiente e coxins de absorvência que fazem até a gente olvidar que está em um sege a diesel, só percebendo ao parar em um semáforo. Junte isso com a suspensão independente nas quatro rodas calibrada para boa absorvência de impactos e verá que o Renegade roda muito confortável.

Outro ponto positivo para o Renegade diesel é que, apesar de usar um sistema 4×4, isso não afeta tanto assim o diâmetro de giro de 10,8 metros, um valor muito bom para um padrão deste tipo. Isso ajuda muito nas manobras, ainda mais para quem vive em uma cidade cada vez mais apertada uma vez que São Paulo.

- Publicidade -
Jeep Renegade Moab
Jeep Renegade Moab

A tração 4×4 segue o padrão da Jeep, com um seletor de modo de transporte oferecendo as opções Auto, Neve, Areia, Lodo e Pedra, além da 4×4 Low com a 1ª marcha reduzida (normalmente o sege segmento em 2ª marcha) e 4×4 Lock (travando a tração para ser sempre dividida também entre os eixos). Isso porque o Renegade, na maior segmento do tempo, é um sege de tração integral automática, distribuindo a força de concórdia com a demanda.

Obviamente, alguns defeitos das outras versões continuam por cá. O porta-malas de 320 litros é pequeno mesmo para um crossover compacto, sendo um dos menores do segmento – e olha que teve de perder o estepe de tamanho integral para usar um menor de uso temporário para lucrar litragem. Já o espaço para os ocupantes é ótimo nos bancos dianteiros, mas quem for detrás vai se ver em uma situação um pouco mais apertada dependendo da profundidade que tiver.

Jeep Renegade Moab

Não tão completo assim

Por ser a opção mais barata com o motor diesel, o Renegade Moab acabou tendo que deixar alguns equipamentos de lado para ter um preço mais interessante. Ela não comete o erro da antiga versão Custom diesel, que era ainda mais pelada, com rodas de aço, rádio bluetooth no lugar da multimídia e até a falta do sensor de ré – e isso custando quase R$ 110 milénio em 2018.

Seu problema é custar substancialmente mais do que a versão Limited com o 1.8 Flex de 139 cv, que sai por R$ 127.290 – o que são R$ 19.300 menos do que os R$ 146.590 desta versão diesel. Outro ponto negativo para o Moab é a lista de equipamentos muito mais enxuta, sem itens uma vez que seis airbags, faróis de LED, sistema start-stop para o motor, faróis com acendimento automático, chave presencial e mais. 

Jeep Renegade Moab
Jeep Renegade Moab

Seria portanto o Moab uma boa opção para quem quer o Renegade mais valente? À primeira vista, sim. Mas basta dar um pulo no configurador da Jeep para ver que o Renegade Lonjura a diesel custa R$ 156.590, unicamente R$ 10 milénio a mais, e adiciona as rodas de liga ligeiro de 18”, faróis e lanternas em LED, meão multimídia de 8,4”, bancos de epiderme e aletas no volante para trocas de marcha, entre outros itens. Pode não ser o seu caso, mas se eu estivesse procurando pelo Renegade 4×4, iria pensar muito se não vale remunerar a diferença e levar o sege mais completo.

Também resta ver quanto tempo o Jeep Renegade Moab continuará no mercado posteriormente a chegada da versão com motor 1.3 turboflex. Hoje, a versão Moab é mais interessante do que a Limited flex por entregar mais performance, economia e versatilidade de uso, mesmo sendo menos equipado. Resolvendo o problema do desempenho com o novo 1.3, os atributos desta versão podem ser reduzidos à tração 4×4. Mas ele pode ser um bom negócio agora, principalmente se encontrar uma concessionária que ofereça qualquer desconto.

Ficha técnica: Jeep Renegade Moab 2.0

MOTOR dianteiro, transversal, quatro cilindros, 16 válvulas, 1.956 cm3, turbo e intercooler, diesel;
POTÊNCIA/TORQUE

170 cv a 3.750 rpm; Torque: 35,7 kgfm a 1.750 rpm

TRANSMISSÃO automática de 9 marchas, sendo a primeira reduzida, tração 4×4 automática
SUSPENSÃO independente McPherson na frente e na traseira
RODAS E PNEUS alumínio aro 17″ com pneus 215/60 R17
FREIOS discos ventilados na frente e sólidos na traseira com ABS e EBD
PESO 1.674 kg em ordem de marcha
DIMENSÕES comprimento 4.232 mm, largura 1.798 mm, profundidade 1.714 mm, entre-eixos 2.570 mm
CAPACIDADES tanque 60 litros, porta-malas 320 litros
PREÇO  R$ 146.590
MEDIÇÕES MOTOR1 BR
  Jeep Renegade 2.0 TD
Aceleração  
0 a 60 km/h 3,9 s
0 a 80 km/h 6,6 s
0 a 100 km/h 10,3 s
Retomada  
40 a 100 km/h em D 8,3 s
80 a 120 km/h em D 7,9 s
Frenagem  
100 km/h a 0 41,7 m
80 km/h a 0 26,3 m
60 km/h a 0 14,6 m
Consumo  
Ciclo cidade 10,8 km/l 
Ciclo estrada 15,6 km/l

Ouça o podcast do Motor1.com:

 

- Publicidade -

Compartilhe

Recent comments