Governador libera porte de armas de fogo para atiradores esportivos em MT e veta para advogados

A médica Natasha Slhessarenko (PSB), homologada candidata ao Senado nas eleições deste ano em convenção pelo partido neste sábado (30), no Hotel Fazenda, afirmou que a tendência do seu partido é estar liberado para apoiar a candidatura do governador Mauro Mendes (União Brasil), à reeleição. Ela adiantou ainda que espera a decisão do governador Mauro Mendes sobre a questão de palanque aberto para o Senado, e que já discute a formação das suas duas suplências.

“A princípio o PSB de Mato Grosso vai estar liberado para apoiar o governador Mauro Mendes, para poder trabalhar e caminhar juntos nessa campanha. Eu quero ser e eu vou ser a senadora de todos os mato-grossenses. Não vou ser uma senadora de um ou de outro segmento. Eu quero ser a senadora de todos os mato-grossenses”, disse

“Há uma tendência, se permanecer o palanque aberto com o governador Mauro Mendes, o PSB sai de chapa pura, porque daí nós fazemos coligação com o União Brasil. Se mudar alguma coisa até o dia 5, nós vamos conversar com os outros partidos, estamos conversando com o solidariedade, com o PDT, o PSDB, enfim, com vários partidos que podem agregar como suplentes na chapa da Natasha”, afirmou à imprensa o deputado estadual Max Russi, presidente do partido no Estado, durante convenção da agremiação no Hotel Fazenda Mato Grosso.

“É uma tendência, mas nós temos prazo até o dia 5 para fechamento total”, disse, argumentando que a ata do partido vai ficar em aberto até o prazo final das convenções partidárias. “Natasha chegou chegando, é uma mulher, que representa muito bem o partido, é uma servidora pública de respeito, professora da Universidade Federal de Mato Grosso, é do PSB e estamos conversando com vários partidos para poder agregar na sua chapa. Tenho certeza que ela terá sucesso nessa eleição. O partido está apostando todas as fichas nela”.

“Nós temos bons quadros no PSB, de Norte a Sul de Mato Grosso, na Baixada Cuiabana, e vamos estar compondo todos os nomes até o dia 5”, arrematou Max Russi sobre a definição dos suplentes caso prevaleça a tese de palanque aberto, o que vai exigir chapa pura do PSB ao Senado da República.

Para a eleição de Presidente da República, uma vez que o PSB está na federação com o PT, segundo Russi, o partido em Mato Grosso vai seguir a orientação nacional. “Vai seguir a orientação nacional, já houve esse encaminhamento definido em convenção nacional”.