GOL anuncia compra de mais 28 Boeing 737 MAX e acelera renovação da frota


A GOL Linhas Aéreas Inteligentes anuncia hoje (3) a aceleração da transformação de sua frota com a assinatura de acordos para compra de 28 aeronaves adicionais Boeing 737 MAX 8, que devem reduzir em 8% os custos unitários da companhia em 2022. Lembrando que a empresa já tinha uma encomenda de 101 jatos, dos quais 12 já foram recebidos.

“Estamos acelerando nosso projecto de transformação da frota em antecipação à possante recuperação das viagens aéreas no cenário pós-pandemia”, disse Paulo Kakinoff, CEO. “O 737 MAX posiciona a GOL para crescer ainda mais competitivamente com a expansão de rotas de destinos, ao mesmo tempo que propicia ganhos de eficiência, gerando assim mais valor para todos os stakeholders da Companhia.”

As 28 aeronaves 737 MAX 8 substituirão 23 Boeings 737-800 NG até o final de 2022. A companhia opera atualmente 12 aeronaves 737 MAX e devolveu 18 B737 NG nos últimos 18 meses. Porquê resultado dos novos acordos, a GOL encerrará 2021 com 28 aeronaves 737 MAX 8 (22% da frota totalidade), e até o final de 2022 deverá racontar com 44 aeronaves 737 MAX (32% da frota totalidade).

Com os atuais compromissos de compra do 737 MAX, a GOL cumprirá seu objetivo de ter uma frota 75% composta por modelos MAX até 2030.


As aeronaves serão financiadas via 15 arrendamentos operacionais diretos, nove sale-leasebacks (“SLBs”) e quatro arrendamentos financeiros. A Companhia planeja ter aproximadamente metade da frota própria em arrendamentos financeiros, e a segmento remanescente em arrendamentos operacionais para preservar sua subida flexibilidade para aumento ou redução da oferta com base na demanda.

A chegada dos novos 737 MAXs permite que a GOL acelere a reembolso de aeronaves -700 e -800 NG em arrendamentos de pequeno prazo, enquanto mantém flexibilidade sumarento para gerenciar sua frota em alinhamento estreito com as flutuações de demanda por viagens aéreas durante e pós-pandemia.

Dentro da estratégia da GOL, o 737 MAX é um componente-chave para a meta da Companhia de atingir a neutralidade de carbono até 2050, oferecido que esse protótipo é 15% mais econômico no consumo de combustível, gera 16% menos emissões de carbono e é 40% mais tristonho em relação ao 737-800 NG. Desde 2019, a GOL já ultrapassou 23.000 horas de voo com aeronaves MAX, propiciando a economia de 9.7 milhões de litros de combustível de aviação e a redução de 24,3 milénio toneladas na
emissão de GEEs (Gases de Efeito Estufa).

“A família 737 MAX oferece significativas reduções no consumo de combustível, nas emissões de carbono e nos custos, comparativamente a outras aeronaves de galeria único, além de propiciar maior utilização e elevadas taxas de ocupação. Isso está desempenado ao compromisso da GOL com a sustentabilidade, por meio da modernização contínua de nossa frota, com aeronaves mais ecológicas e eficientes em termos de consumo de combustível”, disse Celso Ferrer, Vice-presidente de Operações.

Vantagem de Dispêndio Unitário – A Companhia possui 127 aeronaves Boeing 737. Os 12 MAX existentes na frota atual são financiados via arrendamentos operacionais diretos. O projecto de frota revisado é apresentado na tábua aquém:

“O Boeing 737 MAX potencializará a vantagem de dispêndio unitário da GOL, e com a sua maior autonomia de voo oferece aos Clientes mais conveniência para voar ao Caribe, ao México e aos Estados Unidos, sem a urgência de paradas para fornecimento”, disse Eduardo Bernardes, Vice-presidente de Vendas, Marketing e Clientes. “Antes da pandemia, o Brasil era um dos três principais países, junto com Canadá e México, em número de passageiros que voavam para Orlando e Miami, e esperamos que isso retome quando os EUA suspenderem suas restrições de viagem.”

Ganhos de Capital e Caixa – Juntamente com a redução do dispêndio unitário (CASK), esses acordos para 28 aeronaves devem gerar aproximadamente US$200 milhões em ganhos de capital e caixa para a GOL. Porquê referência ao final do ciclo de seu primeiro pedido de 737, que começou em 2005 e terminou em 2020, a Companhia
gerou mais de US$550 milhões em ganhos de capital e caixa por meio de 40 SLBs e 40 arrendamentos financeiros.

“Desde a sua instauração, a geração de valor de longo prazo por meio da compra e financiamento de aeronaves tem sido um componente-chave nos negócios da GOL”, disse Richard Lark, Vice-presidente Financeiro. “Concluímos nosso planejamento plurianual e, combinado com o retorno da taxa de prolongamento sustentável da Companhia por meio da absorvência da participação minoritária em nosso programa de fidelidade, teremos agora mais fluxo de caixa disponível para investimento na compra de aeronaves.”

A GOL mantém parceria com a Boeing desde o início de suas operações e é seu principal cliente na América do Sul, assim uma vez que um dos maiores clientes de aeronaves 737 no mundo.

“A GOL fez um óptimo trabalho de gestão dos impactos da pandemia de Covid-19 e está bemposicionada para retomar sua trajetória de prolongamento. Nossa parceria seguirá crescendo à medida em que ela ampliar continua a combinação da mais valia operacional do 737, que é líder da indústria, com a sua reconhecida reputação nas áreas de segurança, sustentabilidade e serviços ao Cliente.

Estamos orgulhosos de continuar apoiando a GOL, que tem frota 100% Boeing, à medida em que passo que ela expande sua carteira de pedidos do 737”, disse Ricardo Cavero, Vice-presidente de Vendas da Boeing para a América Latina e Caribe

Informações da GOL