G10 Favelas, de negócios da periferia, toca sino na Bolsa e recebe R$ 1 mi – 06/12/2022

-

- Publicidade -

O G10 Favela, grupo que reúne mais de uma dezena de iniciativas de negócios das favelas, tocou hoje a campainha da Bolsa de Valores brasileira B3 em um evento para marcar o encontro entre empreendedores das periferias e o mercado financeiro.

O que significa tocar o sino na Bolsa? O tradicional toque do sino da Bolsa ocorre quando uma empresa realiza sua oferta inicial de ações. Na ação ocorrida nesta terça-feira o toque simbólico serviu para oficializar uma doação de R$ 1 milhão por parte da B3 para a campanha de combate à fome liderada pela instituição. Outras iniciativas complementares estão sendo desenhadas para 2023.

“Estamos aqui para mostrar novos caminhos aos empreendedores, dizer que podemos estar aqui e em todos os lugares, que a bolsa de valores é do Brasil e é nossa”, declarou Gilson Rodrigues, presidente do G10 Favelas.

Juca Andrade, vice-presidente de Produtos e Clientes da B3, afirmou que a doação visa contribuir realizar ações diretas para pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade. “Além da doação, queremos celebrar essa aproximação com os empreendedores da periferia que estão oferecendo alternativas em produtos e serviços para essa parcela importante da população”, disse.

- Publicidade -

Que empresas da periferia já foram criadas? Entre as empresas do bloco de empreendedores periféricos, está a startup de delivery Favela Brasil Xpress e o banco digital G10 Bank.

Antes de tocar a campainha da B3, representantes do G10 Favelas visitaram o Museu da Bolsa do Brasil, assistiram a uma palestra da B3 Educação e participaram de um café da manhã de relacionamento.

O evento também contou com a presença de empresários convidados.

- Advertisement -

Bolsa de Valores das Favelas: O G10 Favelas tem buscado se aproximar do mercado financeiro. No ano passado, lançou a “Bolsa de Valores das Favelas”, plataforma que não tem relação com a B3, mas permite a investidores se tornarem sócias de frações de empresas criadas nas favelas e que atuam nas comunidades.

Qualificação e emprego: Em junho deste ano, foi inaugurado o G10 Tech, um polo de tecnologia que vai capacitar gratuitamente mulheres, jovens e pessoas em situação de vulnerabilidade social da comunidade de Paraisópolis. Depois de qualificados por especialistas do setor, estes alunos e alunas serão contratados pelo Grupo UOL.

O polo tecnológico é formado por empresas e iniciativas de impacto social, como G10 Favelas, Grupo UOL, Vai na Web e Agência Cria Brasil Comunicação.

- Publicidade -

Compartilhe

Recent comments