E-mails expõem envolvimento de ex- empresária de Britney Spears em criação de tutela da cantora; entenda – Quem

Britney Spears (Foto: Reprodução / Instagram)

Britney Spears está processando uma ex-empresária, Lou Taylor, alegando que ela teve papel no estabelecimento de sua conservadoria de 13 anos, que terminou ano passado, e, nesta terça-feira (5), vieram à tona e-mails que comprovariam o envolvimento da mulher com a tutela da artista. Lou, fundadora do Tri Star Sports & Entertainment Group, também processado pela cantora, tinha afirmando anteriormente que “não teve nenhum papel na criação” da conservadoria.

Os e-mails foram incluídos em documentos judiciais públicos, a pedido do  advogado de Britney, Mathew Rosengart, nno Tribunal Superior de Los Angeles. Em e-mails datados de janeiro de 2008, 15 dias antes de Jamie Spears, pai da artista, ir à Justiça e se tornar tutor de assuntos pessoais e patrimoniais da filha, Lou se apresentou aos então advogados de Jamie, Geraldine Wyle e Jeryll Cohen, e escreveu: “Procuro  trabalhar com vocês”. Minutos depois,  enviou um e-mail para Jamie para alertá-lo de que havia “falado” com Wyle e Cohen sobre Andrew Wallet, o advogado que ajudaria a administrar o dinheiro de Britney por 11 anos, e que Wallet e Tri Star “serviriam como co’s [co-conservadores]” com Jamie.

Ela  também trocou e-mails com Wyle em  dois dias antes do início da tutela  sobre uma declaração oficial em nome de Jamie para ser divulgada à imprensa explicando que Britney, que à epoca tinha 26 anos, estaria então sendo submetida à conservadoria. Em outro e-mail, Lou discute sobre o fundo com os ativos financeiros e patrimoniais da cantora, relatando uma das sugestões dos advogados de como administrar as despesas de Britney – se elas seriam deduziadas do fundo ou de outras empresas da artista. “Você irá expor o fundo se pagar as despesas de negócios do fundo”, disse Lou.

Ao Page Six, um advogado da Tri Star, Scott Edelman, disse que os e-mails são “materialmente enganosos”. “Como todas as evidências deixam bastante claro, a tutela foi criada por recomendação do advogado, não Tri Star, e aprovado pelo tribunal há mais de 12  anos. Na verdade, a Tri Star nem era a gerente de negócios da tutela quando foi criada (…) Excertos de e-mails escolhidos a dedo não podem mudar os fatos, e é por isso que esse absurdo terminará de uma vez por todas quando os registros forem abertos”, afirmou.

Britney prometeu “processar a Tri Star” em um post do Instagram deletado em fevereiro, acrescentando que seu pai “adorava” Lou. A Tri Star deixou o cargo de gerente de negócios da princesinha do pop em novembro de 2020. O advogado de Britney alega que a empresa teve enriquecimento às custas da cantora.