Delegado diz que Krupp ficou surpreso ao receber voz de prisão no hospital: ‘Baixou a cabeça’ | Rio de Janeiro

Baixou a cabeça e praticamente não quis falar. Disse que vai se pronunciar através dos seus advogados”, emendou Antenor.

Segundo o advogado que o representa, Alex Martins, o modelo e influenciador “não para de chorar”, segundo informou o advogado Alex Martins, que é amigo da família.

Outro advogado, que disse representar Krupp, William Pena afirmou que o cliente passava por uma cirurgia na coluna e que estava com dificuldades para se mexer.

Bruno foi encontrado na manhã desta quarta-feira (3) em um hospital no Méier, onde ficará internado sob custódia. Segundo o delegado, a defesa informou que o modelo “estava com dores” e que seria submetido a uma cirurgia.

Ele está sendo investigado por homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar, e pode pegar até 20 anos de prisão.

Antenor classificou o fato como um “crime gravíssimo”. “Uma pessoa que utiliza um veículo como se uma arma fosse, com total desprezo e desapego pela vida humana, tem que responder pelos rigores da lei.”

“É muito triste um adolescente morto ao lado da sua mãe atropelado por uma motocicleta em altíssima velocidade”, destacou o delegado.

Um motorista ultrapassado por Bruno instantes antes do atropelamento afirmou que a moto estava a pelo menos 150 km/h quando atingiu João Gabriel, no último sábado (30). O limite na Avenida Lúcio Costa, onde foi o acidente, é de 60 km/h.

De acordo com o relatório final do inquérito, testemunhas e vídeos indicam que João Gabriel ainda tentou se levantar, após o atropelamento, para buscar sua perna já amputada pela força da batida.

Moto do Bruno Krup, uma Yamaha 2021/2022 sem placa, apreendida na madrugada de domingo (31), após o atropelamento. — Foto: Alba Valéria Mendonça / g1

O influenciador pilotava uma moto sem placa, em alta velocidade e sem habilitação, quando atingiu João Gabriel.

A testemunha estava dirigindo o carro quando “foi surpreendido por uma motocicleta trafegando entre os carros, em alta velocidade e fazendo barulhos com o acelerador”. Era Bruno Krupp em sua Yamaha, que o ultrapassou e logo depois acertou João Gabriel.

“O declarante afirma certamente que o motociclista estava pilotando a pelo menos mais de 150 km/h na avenida”, narra o termo de declaração.

A testemunha contou à polícia que parou seu veículo imediatamente, ligando o pisca-alerta, “quando identificou uma pessoa caída na pista, visivelmente machucada, tentando se levantar com ajuda das duas mãos, já sem uma das pernas, que parecia haver sido decepada por completo na altura do quadril”.

Perna decepada parou longe

Um PM já tinha relatado que a perna esquerda do estudante foi amputada na hora do impacto e parou 50 metros à frente do acidente, no gramado entre o calçadão da orla da Barra da TIjuca e a areia da praia.

Vídeos gravados logo após o atropelamento mostram a cena. A perna chegou a ser colocada em uma caixa térmica com gelo para ser preservada, enquanto o estudante João Gabriel era socorrido na pista. Ele chegou a ser levado para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, mas não resistiu.

Adolescente é socorrido após ser atropelado por moto na Barra

Testemunhas dizem que o influenciador digital de 25 anos costumava pilotar em alta velocidade sua moto, uma Yamaha cinza. Vídeos de câmeras de segurança mostram a moto acelerada na Avenida Lúcio Costa e o momento em que João Gabriel e a mãe atravessavam a rua, na faixa de pedestres, antes do impacto.

“Ele é conhecido, todo fim de semana passa aqui. Aquelas motos barulhentas, passa aqui voado, às vezes passa aqui, e quando a gente olha ele já está bem longe”, diz um quiosqueiro que viu o acidente do sábado.

Polícia investiga morte por atropelamento na Barra; vídeo mostra modelo Bruno Krupp em alta velocidade

Polícia investiga morte por atropelamento na Barra; vídeo mostra modelo Bruno Krupp em alta velocidade

Modelo não tinha habilitação

O policial militar também contou no depoimento, na 16ª DP, onde o caso foi registrado, que Bruno Krupp não tinha habilitação.

Três dias antes do acidente, o modelo foi parado em uma blitz da Lei Seca e foi multado por falta de habilitação. Ele usava a mesma moto, que estava sem placa.

Bruno e João foram levados em uma ambulância do Corpo de Bombeiros para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra.

João chegou consciente, foi levado para o centro cirúrgico, mas morreu no começo da madrugada de domingo, pouco depois de chegar à unidade de saúde.

A assessoria de imprensa de Krupp disse que não conseguiu contato com o modelo nem com a família dele.

Quem é Bruno Krupp?

Quem é Bruno Krupp?

João era filho e neto único e morava em Realengo, na Zona Oeste do Rio.

“Minha irmã está destruída pela dor. Nós todos também. Destruídos pela perda do único neto, do único filho”, disse a tia Débora Cardim.

  • ‘Câmeras vão mostrar alta velocidade’, diz tia da vítima