Bolsonaro revela desprezo pelo Judiciário ao combater Barroso, diz grupo de advogados – 09/07/2021 – Mônica Bergamo

O grupo Prerrogativas, que inclui juristas, advogados, professores, pareceristas e ex-membros do Ministério Público, afirma que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) incorreu em transgressão de responsabilidade nesta sexta-feira (9) ao invocar de “idiota” e “imbecil” o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e ministro do STF (Supremo Tribunal Federalista), Luís Roberto Barroso.

Em nota, o grupo sai em resguardo do ministro e diz que Bolsonaro atacou sua honra “de modo desatinado e desqualificado”.

“Nunca a história brasileira, mesmo em seus dias mais sombrios, viveu um tanto parecido. Um presidente da República que não respeita as instituições, que rasga diariamente a Constituição que jurou executar e ameaço a democracia não pode mais permanecer um dia sequer no manobra do seu procuração”, afirma o Prerrogativas.

“Até quando as nossas instituições não reagirão a esse tipo de comportamento insano que expõe a nossa imagem perante o mundo? Até quando haverá complacência com a falta de compostura e de razoabilidade daquele que ocupa a Presidência da República?”, seguem os advogados.

Jair Bolsonaro disparou nesta sexta uma novidade rodada de ameaças contra o processo democrático brasiliano durante conversa com apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada, em Brasília.

“A fraude está no TSE, para não ter incerteza. Isso foi feito em 2014”, declarou o mandatário, repetindo a querela infundada de que o portanto candidato Aécio Neves (PSDB) teria vencido o pleito contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

A certeza de Bolsonaro foi contestada pelo próprio Aécio, que disse não crer que tenha existido fraude naquela eleição.

O presidente tem feito repetidas ameaças contra as eleições, numa radicalização de oração que coincide com pesquisas de opinião que apontam o aumento de sua repudiação e o nepotismo de Lula no pleito de 2022.

Leia, inferior, a íntegra da nota do grupo Prerrogativas:

“Ao injuriar, no dia de hoje, o ministro Luís Roberto Barroso do Supremo Tribunal Federalista, mais uma vez, o presidente da República mostra não só o seu desprezo pelo Poder Judiciário, mas também o seu desequilíbrio e o seu destempero.

Não bastasse ter utilizado ontem palavras de ordinário jargão para manifestar que não apresentaria nenhuma explicação à Percentagem Parlamentar de Interrogatório sobre fatos que lhe são diretamente imputados acerca das graves denúncias que assolam o seu governo, agora, de modo desatinado e desqualificado, atinge a honra de um ministro da nossa Suprema Namoro.

Novamente incorre em transgressão de responsabilidade.

É necessário que as nossas instituições e a nossa sociedade reajam a esse tipo de conduta destemperada, demonstrando que ofensas às nossas instituições e aos seus membros são intoleráveis.

Nunca a história brasileira, mesmo em seus dias mais sombrios, viveu um tanto parecido. Um presidente da República que não respeita as instituições, que rasga diariamente a Constituição que jurou executar e ameaço a democracia não pode mais permanecer um dia sequer no manobra do seu procuração.

Até quando as nossas instituições não reagirão a esse tipo de comportamento insano que expõe a nossa imagem perante o mundo? Até quando haverá complacência com a falta de compostura e de razoabilidade daquele que ocupa a Presidência da República? Até quando haverá a conivência com mais de meio milhão de mortes de brasileiros e brasileiras?

Quem não se dá ao saudação não se faz respeitar. É necessário que as instituições democráticas exijam saudação daquele que exerce a Presidência da República. E se ele não consegue se comportar à fundura da função para a qual foi eleito ou satisfazer minimamente os compromissos que jurou executar perante a país brasileira, é necessário que seja democraticamente longínquo do seu procuração.

Basta! Impeachment já!”


LINK PRESENTE: Gostou desta pilar? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul inferior.