Antonio Corrêa Meyer: Convergência do Direito com a imprensa

Faz algum tempo, pelo menos mais de 25 anos. O Brasil vivia um período de grandes transformações na sua história, com o retorno ao ambiente democrático, a promulgação da Constituição cidadã, a reestruturação dos poderes da república, a reorganização do Judiciário e a criação do seu controle externo, os novos poderes outorgados ao Ministério Público e a Advocacia reconhecida como atividade essencial da Justiça. Essas grandes transformações lançaram o desafio de construirmos uma nação livre, independente, democrática, que prestigiasse os direitos fundamentais do homem e suas instituições.

Spacca

Foi nessa época que conheci Márcio Chaer. Como advogado atuante na profissão e participante de entidades de classe, minha relação com a advocacia era intensa e, por essa razão, as informações e os conselhos de um bom jornalista sempre me ajudaram bastante, especialmente naquele momento da nossa história em que nos sentíamos responsáveis pela construção de um novo país livre e democrático.

Por essa época, o direito, a advocacia e a justiça começavam a convergir fortemente, respondendo ao desafio imposto pela Constituição de 1988. A opção do país era cada dia mais clara e evidente. Foi desse caldo de cultura que nasceu o site que, neste mês, completa 25 anos de existência!

Advogados e jornalistas são prestadores de serviços. Cada um em sua área de atuação, devemos ser úteis às comunidades em que vivemos. Seja defendendo os direitos do cidadão, seja proporcionando informações confiáveis e úteis aos membros dessa comunidade necessárias para sua atuação profissional e enriquecimento cultural.

O ConJur tem sido meu companheiro inseparável desde então. É sempre o primeiro a chegar, no início do dia, trazendo informações importantes de tudo o que aconteceu no dia anterior, nos nossos Tribunais, nas atividades das nossas casas legislativas, dos poderes executivos e do Ministério Público. Traz também, para riqueza de todos os seus leitores, contribuições doutrinárias importantes de eminentes professores e doutrinadores.

O ConJur desempenhou um papel relevante na reconstrução do Brasil e de suas instituições democráticas. Sempre foi uma fonte confiável de informações que, de maneira democrática, acolhendo todas as tendências legítimas, tem atuado como órgão da imprensa especializada que prestigia as nossas instituições republicanas.

Ao mesmo tempo em que cumprimento os jornalistas que participaram dessa construção editorial, agradeço-lhes por tanta informação séria, confiável, útil e importante que deles recebi, dia após dia, nestes 25 anos de existência. Parabéns ao ConJur!

Nota da Redação:
O advogado Antonio Corrêa Meyer foi um dos orientadores do projeto que se transformou neste site. Como dirigente da Câmara Americana de Comércio (AmCham-SP) e da Associação dos Advogados de São Paulo, Meyer contratou a produção de conteúdos que serviram de ensaio para a ConJur.