Advogados dos imigrantes enviados para Martha´s Vineyard pedem investigação criminal

Da redação
Os advogados que representam mais de 30 dos imigrantes levados para Massachusetts…

Da redação

Os advogados que representam mais de 30 dos imigrantes levados para Massachusetts esta semana pediram ao Procurador dos Estados Unidos e ao Procurador-geral do estado que abrissem investigações criminais sobre os voos.

A Lawyers for Civil Rights, que fornece apoio legal gratuito para comunidades de cor e imigrantes, criticou o governador da Flórida, Ron DeSantis, chamando os voos de “golpe político”, em um comunicado de imprensa divulgado no sábado, dia 17.

DeSantis enviou dois aviões transportando imigrantes para Martha’s Vineyard que chegaram na quarta-feira, em uma medida que enfureceu os políticos democratas e destacou os esforços contínuos dos governadores republicanos para transportar imigrantes para regiões liberais no norte do país para protestar contra o que eles dizem ser esforços federais inadequados na segurança da fronteira sul.

Localizada na costa de Massachusetts e há muito conhecida como um destino de verão chique para turistas ricos, Martha’s Vineyard é um lugar incomum e inesperado para os imigrantes serem enviados.

James Hagerty, administrador da cidade de Edgartown, disse que as autoridades acreditam que todos os imigrantes são originários da Venezuela. Um chefe dos bombeiros local disse que entre eles incluíam sete famílias, com quatro crianças com idades entre 3 e 8 anos.

Os membros da comunidade da ilha rapidamente se mobilizaram para ajudar os imigrantes doando alimentos e roupas. Além disso, moradores e residentes de diferentes partes do país arrecadaram mais de US$ 175.000 após a chegada dos imigrantes, de acordo com Beth Folcarelli, CEO da organização sem fins lucrativos Martha’s Vineyard Community Services. Os advogados dos imigrantes disseram que seus clientes não sabiam que estavam sendo levados especificamente para Martha’s Vineyard. Eles foram induzidos a embarcar nos aviões com “representações de assistência ao trabalho e auxílio à imigração em Boston”, disseram os advogados em um comunicado à imprensa. DeSantis rejeitou as alegações de que os imigrantes não sabiam para onde estavam indo, porque ele disse que todos assinaram uma renúncia e receberam um pacote incluindo um mapa de Martha’s Vineyard. “É óbvio que eles sabiam para onde eles estavam indo e foi tudo voluntário”, afirmou.

A Procuradora dos EUA para Massachusetts, Rachael Rollins, disse a repórteres na quinta-feira que conversaria com membros do Departamento de Justiça sobre as ações de DeSantis, dizendo que ainda não tinha informações suficientes para dizer se ele infringiu alguma lei ao enviar os imigrantes para Martha’s Vineyard. Ela acrescentou que sua primeira prioridade é garantir que as pessoas que chegaram sejam tratadas com respeito.