Advogados de Kim Kardashian pedem para anular processo sobre promoção da criptomoeda EthereumMax

A equipe jurídica de Kim Kardashian apresentou uma moção para anular uma ação coletiva destinada à empresária e outras celebridades estadunidenses.

Kardashian e um punhado de outros influenciadores estadunidenses de redes social foram intimados por uma ação coletiva em janeiro de 2022 por alegações de que enganaram investidores por meio da promoção em rede social de uma criptomoeda chamada EthereumMax (EMAX).

Kardashian postou stories no Instagram promovendo o projeto em junho de 2021, com nomes como o do boxeador Floyd Mayweather também envolvidos no processo depois de promover o token baseado na Ethereum na preparação para uma luta de boxe de celebridades contra o YouTuber Logan Paul durante o mesmo período.

Os fãs podiam comprar ingressos pay-per-view com o token, que surgiu após a promoção de Kardashian e outros influenciadores. O valor do EthereumMax caiu significativamente depois, deixando muitos de bolsos vazios.

O processo judicial original que listou Kardashian, Mayweather e outros oito alegou que os executivos da empresa colaboraram com celebridades promotoras para fazer declarações enganosas sobre o criptoativo e seu controle da maioria dos tokens. Steve Gentile e Giovanni Perone foram listados como co-fundadores do projeto.

A equipe jurídica de Kardashian defendeu a anulação da ação coletiva em documentos judiciais analisados ​​pelo Cointelegraph, rebatendo as 10 ações movidas contra a influenciadora. Um ponto-chave foram os stories no Instagram de Kardashian em questão:

“Crucialmente, nenhum autor nomeado alega que de fato viu qualquer postagem do Instagram antes de comprar tokens durante o período em questão.”

O pedido também argumentou que as alegações dos demandantes de que os influenciadores foram pagos em Ether (ETH) para promover o EMAX eram infundadas, dada a falta de evidências de que Kardashian havia recebido compensação financeira por suas postagens no Instagram.

A equipe jurídica de Kardashian também destacou que não havia evidências apresentadas de Kardashian comprando, recebendo ou vendendo os tokens. Os réus juntos apresentaram uma moção coletiva para rejeitar as reivindicações gerais da ação coletiva.

Enquanto Kardashian se move para se distanciar de seu envolvimento no crash da EthereumMax, esta é apenas a instância mais recente em que Mayweather se envolveu em uma promoção de projeto de criptomoeda obscura.

O boxeador escapou anteriormente de um processo depois de promover a fraudulenta oferta inicial de moedas Centra Tech em 2017 ao lado do produtor musical americano DJ Khaled. A se safou depois que um juiz decidiu que os investidores não conseguiram provar que compraram tokens devido aos esforços promocionais de Mayweather e Khaled.

LEIA MAIS: