Advogado acusado de feminicídio e de agressão e outra companheira é suspenso pela OAB-CE | Ceará

  • Compartilhe esta notícia no WhatsApp
  • Compartilhe esta notícia no Telegram

A decisão ocorreu após uma reunião do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB-CE, realizada horas após a divulgação de áudios e vídeos em que Aldemir aparece agredindo a ex-namorada, que o denunciou no início de junho.

Agora constando como suspenso na Ordem, Aldemir fica temporariamente impossibilitado de atuar na advocacia. A OAB confirmou a suspensão, mas informou que não poderia passar mais detalhes, pois o processo tramita em sigilo.

Vídeos obtidos com exclusividade pela TV Verdes Mares, filiada da Rede Globo no Ceará, mostram a ex-namorada de Aldemir Pessoa sendo agredida. A mulher afirma que o advogado é o responsável pelas agressões.

Os ataques ocorreram em um sítio no município de Pindoretama, Região Metropolitana de Fortaleza

A mulher que aparece no vídeo também é advogada e se envolveu com Aldemir após a morte de Jamile. Conforme ela denunciou a polícia, o advogado deu tapas nela durante uma discussão. Além de bater nela e gravar as agressões para mostrar aos familiares dela. O caso é investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher.

Em áudios obtidos também pela TV Verdes Mares é possível ouvir o advogado proferindo ofensas e ameaçando a ex-namorada. Em uma das mensagens, Aldemir chega a admitir para a mulher que agrediu Jamile.

No diálogo com a ex-namorada, Aldemir intimida a mulher dizendo que ele se tornou inimigo dela e que está dando um “aviso”.

“Viramos inimigos, ok? Viramos inimigos. Fique tranquila, que nós vamos ser mais inimigos ainda, tá joia? Não se preocupe! Tô pronto para ser seu inimigo, ok? É ameaça não, cara. É um aviso. Eu adoro a concorrência, eu adoro a guerra, eu sou o rei da guerra, eu adoro, eu amo. Eu rezo porque eu amo o inferno. Vai se f… Só vou dizer mesmo que tu é uma p…”, disse Aldemir.

Em outro trecho, o advogado fala sobre uma dívida que a ex tem com ele e que deverá ser paga mediante a intermediação da ex sogra.

“Rapaz, você me deve e eu vou lhe mostrar como é que eu vou receber com a sua mãe. Você tem mãe. Sua mãe é minha sócia. Depois ela se entende com você, tá bom? Fique tranquila. Nós temos uma pessoa que é uma interseção muito justa, tá certo? E aí, eu vou usar ela. Não preciso ser eu. Não preciso te agredir”, falou o advogado.

Advogado acusado de matar advogada mandou áudio a outra namorada relatando agressão

Por último, Aldemir compara a ex-namorada com Jamile e assume que chutou a empresária, que teria ficado “zonza”, nas palavras dele.

“No dia que eu encontrei a r… da Jamile, eu dei um chute no c… dela, que foi parar na p…ela, tá certo? Ela ficou zonza, tá certo? Me separei, me divorciei em menos de uma semana. Posso ter me f…, mas podia tá muito bem, podia tá muito bem. E eu não tenho medo de arriscar. Vai à m… É por isso que eu fico brigando contigo, enchendo o teu saco”, relatou Aldemir nos áudios enviados a ex-namorada.

A TV Verdes Mares, filiada da Rede Globo no Ceará, procurou a defesa de Aldemir Pessoa, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

O Tribunal de Justiça do Ceará informou que os processos administrativos sobre Aldemir tramitam em sigilo.

O advogado Aldemir Pessoa Júnior é suspeito de matar a namorada, Jamile Correia — Foto: Arquivo pessoal

A empresária morreu em 31 de agosto de 2019 após ferimento por tiro. Ela chegou a ser levada ao Instituto Dr. José Frota (IJF), mas não resistiu. Jamile faleceu um dia após dar entrada no hospital. O caso era tratado como suicídio até a Polícia Civil começar a investigação e levantar a tese de homicídio. A defesa de Aldemir argumentou que houve suicídio.

Em agosto de 2020, a Procuradoria-Geral de Justiça decidiu que o advogado deveria ser acusado pelo crime de feminicídio e os demais correlatos. Até aquele momento, havia tido entendimentos distintos entre membros do Ministério Público do Ceará (MPCE) e, por isso, a definição foi tomada pelo procurador-geral.

O MP considerou que houve feminicídio com o agravante de ter sido realizado na presença do filho da empresária. Com relação à lesão corporal, o órgão argumenta que Aldemir agrediu Jamile antes de tê-la matado. Além disso, ele teria tentado atrapalhar a investigação, o que rendeu a denúncia por fraude processual.

De acordo com o órgão ministerial, o advogado portou armas de fogo dentro e fora de casa, ainda tendo guardado os armamentos na casa de uma outra pessoa.

Advogado acusado de feminicídio é suspeito de nova agressão

Advogado acusado de feminicídio é suspeito de nova agressão

Assista às notícias do Ceará no g1 em 1 Minuto