10 erros que o legisperito não deve cometer

-

- Publicidade -

O ano da pandemia foi de muitos desafios: mudanças tributárias, em leis, governo federalista tentando moderar as consequências uma vez que podia, e advogados e profissionais jurídicos lutando para se ajustar às rápidas mudanças que surgiam.

Mas em meio a tanta incerteza, diversas oportunidades surgiram: nichos específicos dentro do recta foram ainda mais buscados, profissionais construíram suas autoridades usando ferramentas online, e mais do que nunca o cidadão entendeu o valor de uma assessoria jurídica qualificada.

Não existe maneira melhor de edificar audiência e se tornar referência na sua especialidade do que via um planejamento de marketing robusto e focado nos seus objetivos. Hoje quero compartilhar com você os 10 erros que o legisperito não deve cometer em um projecto de marketing jurídico.

Erro número 1: Não seguir as normas da OAB

- Publicidade -

O item 28 do Código de Moral da OAB define claramente o que é permitido aos advogados em se tratando de publicidade:

“O legisperito pode anunciar os seus serviços profissionais, individual ou coletivamente, com discrição e moderação, para finalidade exclusivamente informativa, vedada a divulgação em conjunto com outra atividade”.

Ou seja, não é permitido:

  1. Partilhar folhetos e panfletos
  2. Usar telemarketing para prospectar clientes
  3. Veicular anúncios em televisão ou rádio
  4. Publicar propagandas na internet com valores de honorários
  5. Fazer ofertas diretas com CTA do tipo “ligue agora” 
- Advertisement -

Erro número 2: Não usar o que o código de moral permite a seu obséquio

O Código de Moral da OAB tem as proibições citadas supra em relação ao marketing dos advogados, mas permite outras práticas. Falhar em explorar estas possibilidades é um erro que impede que o planejamento de marketing exista.

Veja inferior o que é permitido:

  1. Participar de entrevistas e debates, dar palestras em eventos, e publicar essas ações
  2. Participar de programas de televisão, rádio, podcasts com conhecimento informativo sobre casos específicos
  3. Ter logotipo do escritório
  4. Ter site, blog, páginas e/ou perfis em redes sociais
  5. Oferecer consultas pagas via telefone 

Erro número 3: não saber seu mercado

- Publicidade -

É generalidade que todo profissional suponha saber o mercado em que está inserido, mas a verdade é que quando um tanto é muito familiar, é difícil perceber detalhes e fazer análises concretas.

Assim, não estudar e entender o mercado em que está inserido é um grande erro do legisperito.

É importante estar sengo às mudanças da sociedade, últimos acontecimentos, uma vez que o mercado reage, e uma vez que profissionais do seu nicho se posicionam diante dos clientes. Tudo isso faz secção de uma pesquisa forçoso para um projecto de marketing robusto. 

Erro número 4: Não saber seu público-alvo

Advogados estão em contato quotidiano com seu público-alvo: seus clientes. Mas será que param para conhecê-lo e entender suas necessidades e dores?

Fazer suposições sobre seu público-alvo é um erro que pode custar muito custoso.

Além de não conseguir atender seu cliente da maneira correta, isso impossibilita a prospecção de novos clientes, e gera erro na definição de estratégias do marketing. 

Erro número 5: não saber sua concorrência

Muitos têm a teoria de que não existe concorrência no meio jurídico. As opiniões variam e você com certeza tem a sua.

De veste existe espaço sempre para bons profissionais, e mesmo com o mercado saturado, todo mundo em qualquer momento vai precisar de um legisperito.

Mas essas não são desculpas para o erro número 5: não saber – ou perder – sua concorrência.

Concorrentes correm lado a lado e podem ensinar muito. Estar sengo ao comportamento e postura de seus colegas no mercado é forçoso para sobreviver numa era em que tudo muda muito rápido e as informações voam pela internet. 

Erro número 6: não ter estratégias definidas

Um projecto de marketing não é “fazer propaganda” ou ter página em rede social. É muito mais do que isso.

Para que ele seja bem-sucedido é preciso que você não cometa um dos erros mais sérios desta lista: ir fazendo, fazendo, fazendo. sem nenhuma estratégia definida.

Você precisa ter estratégias para obter suas metas, o que me leva ao erro número 7. 

Erro número 7: não estipular metas

Sem estratégia não se chega a lugar qualquer, e esse lugar aonde se quer chegar é a meta estipulada.

Ou seja, não ter meta é. um desserviço. Ao seu tempo, seus recursos, sua equipe, seu trabalho! 

Erro número 8: não ter controle do trabalho feito

Já deu pra entender que o tema universal dessa lista é planejamento, patente?

E uma vez que prometer que a realização está indo de entendimento com o planejamento sem métricas? Sem controle? Sem indicadores?

Não cometa oriente erro: tenha controle do que está acontecendo, mensure números, ações, analise conteúdos. Saiba o que tem mais resposta, o que gera mais engajamento. E isso vale para todas as ações de marketing, não só as digitais.

Erro número 9: usar as ferramentas erradas

Com todo o planejamento pronto, metas definidas e estratégias traçadas, só uma coisa pode dar falso: usar as ferramentas erradas para falar com seu público e executar suas ações.

Há uma série de ferramentas disponíveis para que você escolha: 

(Imagem: Divulgação)

Erro número 10: não fazer marketing jurídico do dedo

Quem não está na internet não existe. Isso já está simples, patente? 

Edificar uma estratégia de posicionamento e teor é o melhor caminho – e se isso parece um pouco demais para você assumir, estamos cá para te ajudar.  

Na 3MIND desenvolvemos uma metodologia de marketing jurídico com objetivo de ranqueamento na primeira página do Google depois de atingir e errar muitas vezes. Foram diversas estratégias de marketing do dedo implantadas em mais de 150 escritórios de advocacia em todo o Brasil, para finalmente chegar num padrão ideal. 

Hoje, compartilhamos teor de qualidade no nosso blog sobre o tema, temos um ducto no YouTube com aulas e um podcast semanal discutindo assuntos relevantes para os advogados, para que você possa se atualizar e lançar sua estratégia de marketing jurídico. 

Aliás, temos um curso gratuito para você saber mais sobre marketing jurídico e uma vez que ele pode alavancar os negócios do seu escritório de advocacia. E, simples, estamos à disposição para te ajudar!

t

- Publicidade -

Compartilhe

Recent comments